Korisca

A cerveja artesanal de S. Miguel

1 177

> texto Maria Helena Duarte > fotografias Ernesto Fonseca

A Paixão Pela Cerveja foi recentemente à ilha de São Miguel. É, mesmo, uma Ilha fabulosa. A natureza foi muito generosa, as pessoas são muito afáveis, os peixe e a carne são super saborosos, e entre tantas coisas boas, agora há mais uma: a cerveja artesanal açoriana Korisca.

“A Paixão pela Ilha, e a vontade de fazer novos investimentos, levou a que tentássemos perceber o que seria possível fazer e o que ainda não existisse. Através de conhecidos, provámos uma cerveja produzida em casa, apenas para consumo próprio. Foi uma ótima experiência, gostámos e achamos que tinha qualidade”. E foram essas duas paixões que motivaram a criação da fábrica de cervejas de São Miguel e que fizeram com que “investíssemos na criação da marca e aperfeiçoássemos a produção da mesma”.

 

“Korisca” é uma expressão típica Açoreana que significa “atrevida”. A expressão original é escrita com “C”, mas Vera refere que optaram por manter o termo mas escrito com “K”, uma forma de assinalar o “atrevimento” de entrar numa área que desconheciam mas acreditavam.

Na fábrica das cervejas artesanais Korisca, são produzidas três cervejas: Brown Ale, American Pale Ale e Stout

A Korisca America Pale Ale é uma cerveja leve, com aromas frutados e notas florais. Acompanha bem queijos novos e carnes grelhadas. Já a Korisca Brown Ale apresenta sabor a malte, caramelo e frutos secos. Acompanha bem todo o tipo de carnes, enchidos, queijos médios e curados. Por fim, a Korisca Stout é uma cerveja preta encorpada, de espuma persistente e que mostra um sabor intenso a tostados, chocolate e café. Boa para harmonizar com caça e sobremesas, por exemplo.

 

Para breve, conta Vera Sengo que continuarão a melhorar gradualmente “as condições de fabrico” e para breve está “o lançamento de duas novas cervejas”.

Na ilha de São Miguel já ninguém fica indiferente às cervejas Korisca, afinal, é a única marca artesanal, a par com a cerveja D’Associação (também produzida na fábrica de Vera) e que é a cerveja oficial do restaurante da Associação Agrícola. É sempre importante ressaltar que, com este investimento, “estamos a ajudar ao desenvolvimento da comercialização de produtos locais”. Claro que produzir numa ilha tem desvantagens, como “o tempo de chegada da matéria-prima via marítima”, assim como os custos associados “que consideramos algo elevados”, aponta.

 

Quisemos saber quais as pretensões de expansão. O crescimento é desejado mas há a certeza de ainda haver muito trabalho pela frente. Até porque: “até ao momento o resultado tem sido bastante satisfatório”, garante. Para já há o investimento na comunicação, através das participações em eventos que promovam a cerveja artesanal, alguma publicidade e divulgação nas redes sociais.

Por fim, a produtora fez questão de assinalar que “vemos o crescimento do mercado com muito agrado, pois começa a haver um maior conhecimento e apreço por um produto de grande qualidade”.

TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DE

1 comentário

  1. Artur Tavares Diz

    Não tive ainda o prazer de ter provado a Korisca mas gostei de saber que existe gostaria de saber onde a posso adquirir já agora me me lembrei que quando era jovem com os meus oito anos mais ou menos o meu pai fazer em casa cerveja e provar tenho isso na memória e já lá vai cinquenta e tais anos um bem haja e que a Korisca tenha muita fama e deia muitas alegrias aos Açores

DEIXE UM COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado.